REAÇÃO ACROSSÔMICA

 

O acrossomo do espermatozoide é uma região da cabeça do espermatozoide que contém enzimas proteolíticas e hidrolíticas que digerem a zona pelúcida do oócito permitindo a fusão do espermatozoide com o gameta feminino. Este processo é chamado reação acrossômica e é essencial para que ocorra a fertilização.

O TESTE

Apesar da reação acrossômica in vivo envolver uma série de eventos fisiológicos complexos, pode ser também determinada in vitro, ou seja, em laboratório.

O teste de reação acrossômica avalia o potencial de fecundidade do espermatozoide e o resultado é expresso em:

  • Porcentagem de espermatozoides com acrossomo intacto;

  • Porcentagem de espermatozoides com acrossomo danificado.

São utilizados marcadores fluorescentes que se ligam ao acrossoma do espermatozoide que permitem a visualização da região em microscópio de fluorescência. Este teste deve ser realizado em homens com histórico de infertilidade ou ainda que planejam ou tiveram falha em tentativas de fertilização in vitro.

Resultados fora da normalidade indicam que os espermatozoides estão liberando suas enzimas digestivas precocemente, tornando-os incapazes de penetrar nas camadas de células que envolvem o oócito, comprometendo o potencial fértil espermática, resultando em infertilidade.

1.png

Acrossomo intacto

2.png

Acrossomo liberado

precocemente

logo.png

VANTAGENS DE REALIZAR O TESTE

  • Auxilia na escolha do método de reprodução assistida a ser utilizado (inseminação intrauterina, FIV clássica ou FIV/ICSI);

  • Ajuda na identificação do motivo de falhas de tratamentos anteriores;

  • Determina o tratamento clínico do homem ou melhoras laboratoriais a serem realizadas no sêmen.

 

Referências bibliográficas:

  • Liu et al. The proportion of human sperm with poor morphology but normal intact acrosomes detected with pisum sativum agglutinin correlates with fertilization in vitro. Fertil Steril 1988, p. 288-293.

  • Christopher DJ. Biological basis for human capacitation-revisited. H Reprod Update 2017; 23(3): 289–299.

  • Ranéa C et al. Sperm motility quality in asthenozoospermic samples during prolonged in vitro incubation under anaerobic conditions. Andrology (Suppl): 90-90.

  • Pariz e Hallak. Effects of caffeine supplementation in post-thaw human semen over different incubation periods. Andrologia 2016; 48(9):961-966.